quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O vigilante - Sarah Waters

Este livro foi finalista em 2006 do "Man Booker Prize for Fiction" e tem uma estrutura completamente diferente do habitual. Começa no pós-guerra em 1947 e recua até 1941, dando a perceber a história das personagens através do passado, mostrando-nos que de certa forma todas elas estão relacionadas...
Foi o primeiro livro que li deste autora e gostei bastante, dos personagens, da história, da densidade dos sentimentos, tendo sempre como pano de fundo os horrores da Guerra: os bombardeamentos dos aviões alemães a Londres, a destruição de monumentos históricos, a morte de centenas de inocentes e o bom carácter de algumas pessoas corajosas que arriscavam a vida para ajudarem os outros...
A história centra-se na vida de quatro pessoas em Londres: Kay, Helen, Vivien e Duncan, focando-se sobretudo nas suas relações e sentimentos.
Aborda questões como a emancipação feminina, o machismo da sociedade londrina, a homossexualidade, a infidelidade, aborto, o suicídio...

As descrições são bastante intensas, quase nos sentimos com as personagens a ouvir os apitos dos Vigilantes, o medo das bombas, os clarões das chamas, do pó e das cinzas... a sentir necessidade de viver os dias como se fossemos morrer a qualquer segundo, sob a iminência de ser atingido pelas bombas alemãs...
Um livro que apesar de passar das 400 páginas é bastante fluído e muito fácil de ler. Recomendo a todos!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Human rights

Não é um saco do lixo é um Ser Humano! - Lisboa (Portugal)

Concorri há uns meses atrás a um concurso de fotografia organizado pela "Stiftung", uma fundação alemã que se tem vindo a dedicar à defesa dos direitos humanos, nomeadamente ao apoio de antigas vítimas da Segunda Guerra Mundial.

Esta minha foto em cima mostra a realidade cada vez mais comum do nosso dia-a-dia, o ser humano é tratado como lixo e não é só nos países ditos "em desenvolvimento", mas também nas nossas cidades... o que podemos fazer para mudar isso? não sei, penso que pelo menos não devemos ser indiferentes... estas pessoas que habitam as ruas por necessidade precisam uma oportunidade, de dignidade e de apoio... 

Esta foto foi seleccionada juntamente com outras nove imagens para figurar na final do concurso e ficou em 4º lugar na votação do público, agradeço a todos o apoio!

domingo, 13 de novembro de 2011

Soberania individual

"O cordão umbilical que nos une através das centúrias chama-se pavor do desconhecido, ódio ao diferente, recusa da aventura, pânico da liberdade e da responsabilidade de inventar-se todos os dias, vocação de servidão à rotina, ao gregário, recusa de descolectivizr-se para não ter de enfrentar o desafio quotidiano que é a soberania individual." Mario Vargas Llosa