segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Borda d'água

Barco no rio Douro - Porto (Portugal)

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Humanos - Quero é Viver



"Vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver

Amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será
mais um prazer

e a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com a idade
interessa-me o que está para vir
a vida em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar, vou fugir ou repetir

vou viver,
até quando, eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver
amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será mais um prazer

a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com idade
interessa-me o que está para vir
a vida, em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar vou fugir ou repetir

vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver,
amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será mais um prazer"

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Ilusão perdida...

"Florida ilusão que em mim deixaste
a lentidão duma inquietude
vibrando em meu sentir tu juntaste
todos os sonhos da minha juventude.

Depois dum amargor tu afastaste-te,
e a princípio não percebi. Tu partiras
tal como chegaste uma tarde
para alentar meu coração mergulhado

na profundidade dum desencanto.
Depois perfumaste-te com meu pranto,
fiz-te doçura do meu coração,

agora tens aridez de nó,
um novo desencanto, árvore nua
que amanhã se tornará germinação."


Pablo Neruda

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Algures num pinhal...

Coelho selvagem europeu "Oryctolagus cuniculus" - Miranda do Corvo (Portugal)

Clã - Aqui na Terra



"Nada me prende a ti
dono e senhor de mim
nada me prende a nada
por essa estrada fora
por essa estrada dentro
faço figas ao vento
porquê
fugir de ti
aqui
Deus não nos vê
aqui ninguém nos ouve
e nunca ninguém sabe
onde cabe
nada me prende ao céu
nada me prende ao chão
Deus não me dá razão
tudo pronto a vestir
amor pronto a fugir
só nos resta dormir
sono dos amantes
doce como dantes
longo como dantes
rosa nua
rosa carne
crua rosa
tua rosa, teus espinhos
rosa rua
rosa charme
posso magoar-me
sete ventos, vinhos
e caminhos
nada me prende a ti
dono e senhor de mim
nada me prende a nada
porquê
fugir de ti
aqui
Deus não nos vê
aqui
ninguém nos ouve
e nunca ninguém sabe
onde cabe
rosa nua
rosa carne
crua rosa de charme
tua rosa, teus espinhos
rosa rua
rosa carne
posso magoar-me, rosa
voz do meu deserto
céu aberto"