sábado, 30 de abril de 2011

Nascimento

Andorinhas das chaminés "hirundo rustica" - Miranda do Corvo (Portugal)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

25 de Abril

Mais um 25 de Abril e quais foram os ideais da revolução que sobreviveram?
O 25 de Abril de 1974 pôs fim a um regime de ditadura, colocou na mão do povo a decisão de escolher os seus líderes políticos, os seus governantes.

E porque agora deixou o povo de se importar? porque deixaram sequer de ir votar? porque se calam? porque se conformam? porque não lutamos por um país melhor?

Não consigo entender como chegamos a este ponto, só sei que precisamos de uma nova REVOLUÇÃO que ponha fim a este caos governativo, de políticos corruptos, ignorantes e sem visão, que em vez de resolverem os problemas estruturais do país, o afundam cada vez mais, defendendo os seus interesses pessoais e dos seus "amigos", enquanto a classe trabalhadora vê os seus direitos adquiridos serem retirados sem fazer nada...

Family photo

Conjunto de armaduras de metal no Alcazar - Segovia (Espanha)

domingo, 17 de abril de 2011

Santa Tecla

Povoado castrejo de Santa Tegra (ou Santa Tecla) - Galiza (Espanha)
O castro de Santa Tecla ("Santa Tegra") está estrategicamente colocado no alto de um monte e rodeado por uma muralha defensiva (com duas portas). A sua localização era simultaneamente excelente em termos defensivos (pois permitia a visualização de uma grande área territorial e controlar a navegação sobre o Rio Minho) e económicos pois encontrava-se junto à costa e ao estuário do rio o que permitia acesso a peixe e a marisco.
Urbanisticamente podem encontrar-se casas de planta redonda ou ovalada com um vestíbulo (dito em forma de "patas de caranguejo") que são do período de ocupação mais antiga do castro. Mais recentes de influência romana são algumas casas com planta quadrada que também se podem encontrar.
Terá sido habitado desde 1900 a.C., até 68 d.C, sendo nos seus últimos tempos conquistado e influenciado pelo povo romano como indicam as moedas, ânforas e outros vestígios... que se podem visualizar dentro do pequeno museu do Castro. 
Reconstrução de uma habitação da época castreja - Galiza (Espanha)
Não sou geralmente apoiante das reconstruções, mas quando são bem feitas e esteja claro como foram feitas, em que se basearam e que visem melhorar a capacidade da arqueologia se aproximar mais no diálogo com a "população comum", acho que pode ser uma mais valia. Portanto neste caso específico tanto as duas reconstruções que lá foram feitas como o alteamento de muros devidamente assinalado parecem-me uma boa forma de as pessoas conseguirem perceber com mais clareza como se vivia no castro.
Quem visitar o local deve também procurar os petróglifos atribuídos a Idade do Bronze na parte sul do castro, que quando a mim deveriam estar mais protegidos, pois já se apresentam com elevado estado de erosão e a continuar assim correm risco de preservação devido à exposição aos elementos naturais sem qualquer tipo de protecção.